sábado, 9 de junho de 2012

ABCZ realiza dia de Campo do leite em Jarú


            Pela primeira vez no Estado, a associação realiza este evento para alavancar o potencial das raças zebuínas
O evento foi promovido pela Associação Brasileira de criadores de Zebús, fazenda olhos D’água e parceiros. O primeiro dia de campo do leite foi realizado em Jarú, uma das maiores bacias leiteira do país que culminou com a realização da sexta expo leite que será realizada de 06 a 10 de Junho.
O primeiro dia de campo do leite aconteceu na fazenda do proprietário Sebastião Araújo. Ele é um dos participantes do Programa de Melhoramento Genético de zebuínos da ABCZ. Em sua propriedade, ele cria o Gir leiteiro, realiza a transferência de embrião e a fertilização in Vitro. Segundo Sebastião, o Gir é uma raça de fácil adaptação do clima quente. “Eu sempre gostei do Gir, mas só depois de um tempo passei a exercer a atividade. É uma raça criada a pasto e usa pouca ração”, enfatiza.
 Pela primeira vez no Estado, a ABCZ realiza esse evento, com o objetivo de alavancar o potencial das raças zebuínas, mostrar os trabalhos que tem sido realizado pela associação e principalmente chamar a atenção do Estado para firmar parcerias com os criadores, no intuito de fomentar ainda mais a criação desses animais. “O estado está começando a ter algumas medidas de trabalho que auxiliam no melhoramento genético”, enfatiza Guilherme Henrique Pereira, Gerente do escritório da ABCZ em Rondônia.
A temática abordada no evento foi sobre a qualidade do leite, avaliação linear, manejos em criação de bezerras e bezerros, uso de vacinas reprodutivas e por fim a recuperação das APP’s. No primeiro momento, Mariana Alencar, gerente do PMGZ mais leite (Programa de Melhoramento genético de zebuínos da ABCZ), falou aos produtores rurais sobre a exigência que se está tendo quanto a qualidade do leite para a segmentação de mercado, custos e o rigor cobrado pelos consumidores. Durante a palestra, ela destacou alguns conceitos referentes à composição e condição higiênico-sanitária. “A gente está trabalhando com análise para identificar algumas composições do leite. Através deste serviço, vamos conseguir identificar animais superiores dentro das características, esperando que eles possam contribuir para a pecuária leiteira nacional, já que nós temos uma participação efetiva do zebu leiteiro no Brasil”.
Outra palestra com grande destaque, foi sobre o manejo em criação de bezerros e bezerras. De acordo com o palestrante Luíz Carlos Capovilla, a criação de bezerros, principalmente no nascimento exige boas práticas de manejo e de muito cuidado. Estima-se que 75% das mortes são causadas pela falta de um ambiente higiênico. “Neste primeiro início de vida, o animal requer cuidados redobrados. Eles são suscetíveis às infecções através do umbigo, e do próprio intestino se o alimento estiver contaminado”. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário