terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Técnicos, empresários e instituições financeiras discutem 2.ª Rondônia Rural Show


A coordenação da organização da Feira de Tecnologias e Oportunidades de Negócios Agropecuários reuniu nesta terça-feira (26), gerentes da Emater, empresários do setor produtivo e instituições financeiras oficiais para discutir os procedimentos para liberação de crédito durante a 2.ª Rondônia Rural Show. O encontro foi realizado no Centro de Treinamento da Emater, em Ouro Preto do Oeste e reuniu mais de 200 pessoas no intuito de nivelar informações e garantir a eficiência na contratação dos recursos, em especial os do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).
A 2.ª Rondônia Rural Show é um incentivo proporcionado pelo governo estadual aos pequenos, médios e grandes produtores rurais a fim de que oportunizar a adesão a créditos facilitados para aquisição de veículos, máquinas e equipamentos tecnológicos capazes de contribuir com o aumento da produção agropecuária no estado. Através da Seagri e Emater, instituições coordenadoras do evento, e da parceria de órgãos públicos federal, estadual e municipais, além da iniciativa privada, o governo da cooperação tem como meta fortalecer as ações do setor produtivo mostrando ao mundo que em Rondônia também existe espaço para investimentos no agronegócio.
Segundo Leonel Amaral da Silva -, coordenador de gestão de projetos estratégicos da Seagri e um dos coordenadores da Rondônia Rural Show - para garantir o sucesso obtido no primeiro ano é muito importante que todas as entidades diretamente envolvidas estejam com as informações niveladas. “A nossa intenção é melhorar cada vez mais e para isso é preciso desburocratizar os processo de crédito e é isso que estamos tentando conseguir junto às superintendências dos bancos”, diz Leonel.
As instituições financeiras oficiais participantes são: Banco da Amazônia, Banco do Brasil e Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil (Sicoob), mas a 2.ª Rondônia Rural Show abrirá as portas para que também as instituições privadas possam participar. “As instituições oficiais tem um segmento voltado para a agricultura familiar, mas nosso estado tem grandes produtores também e eles também querem investir em suas propriedades”.
A participação das empresas deu-se no sentido de elas conhecerem melhor as linhas de crédito e assim oferecer vantagens aos seus clientes, com base nas linhas de crédito propostas pelas instituições. Para Josi Pimenta, uma das representantes das empresas participantes, hoje o mercado está aquecido e é preciso aproveitar esse momento. “Não temos muitos produtos para o pequeno agricultor. Nosso público é mais voltado para grandes produtores, mas estamos buscando perspectivas para atuar também com as linhas voltadas para a agricultura familiar”, diz.
José de Arimateia, assessor estratégico da Emater e um dos coordenadores do evento, salienta a importância da presença da assistência técnica na Rondônia Rural Show, não apenas em ações, mas com a equipe de extensionistas pulverizadas em todos os municípios rondonienses. “Esse governo é um governo preocupado com o desenvolvimento e a Emater, como órgão oficial do governo, tem o dever de levar as informações a todos”.
O secretário executivo adjunto da Emater, Francisco Mende de Sá, falou da importância das parcerias com as Prefeituras, também. As coisas acontecem nos municípios e um fortalecimento da agricultura no estado significa o fortalecimento da agricultura no município, então é preciso que eles, os prefeitos, também participem do evento.
Agroindústria e agroecologia
A organização para a realização da 2.ª Rondônia Rural Show já rendeu a Rondônia a expectativa de se tornar o centro empresarial do Brasil. O coordenador Leonel Amaral conta que durante os quatro dias da feira estarão acontecendo eventos paralelos, como o Seminário Nacional de Agronegócio, agendado para o dia 24 de março nas dependências do Parque de Exposição de Ji-Paraná.
Mas o que está mesmo movimentando os bastidores da organização da 2.ª Rondônia Rural Show é outra novidade: a atenção especial que será dada aos segmentos da agroindústria e da agroecologia. O fortalecimento das agroindústrias, em especial as familiares, tem sido uma das prioridades na administração do governador Confúcio Moura. Através do Programa de Verticalização da Produção de Rondônia (Prove) várias pequenas indústrias estão em processo de regularização.
Segundo o coordenador de agroecologia da Seagri, Aroldo Vasconcelos, 82 dessas agroindústrias familiares já regularizadas estarão expondo seus produtos em um local reservado somente para elas. Esses produtos já possuem o selo do Prove e poderão ser degustadas durante a feira.

No segmento agroecológico o governo da cooperação, através da Secretaria de Estado de Ação Social (Seas) levará ações como economia solidária e o trabalho realizado com extrativistas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário